Centenário de homenagens

Rural comemora seus 102 anos de educação concedendo título de Doutor Honoris Causa ao sambista Nei Lopes

Nei Lopes recebe o título de Doutor Honoris Causa das mãos do Reitor Ricardo Motta Miranda – Foto Divulgação
Nei Lopes recebe o título de Doutor Honoris Causa das mãos do Reitor Ricardo Motta Miranda – Foto Divulgação (Jornal Atual)

Na sexta-feira, 19 de outubro, o auditório Gustavo Dutra da UFRuralRJ recebeu a presença do compositor e intelectual do samba, hoje morador de Seropédica, Nei Lopes. O ex-compositor do Salgueiro, escritor e autor de vasta discografia no samba, em seus 70 anos de vida já lançou mais de 30 títulos.

Na data citada foi escolhido pelo Conselho Universitário para ser homenageado por seu destacado trabalho artístico em favor da valorização das culturas africanas e afro-brasileiras. Suas obras abrangem o papel como historiador de manifestações e tradições que estão distantes das hegemonias culturais, sociais e geográficas do Rio e do Brasil.

 

“É uma honraria receber essa homenagem de uma Universidade tão importante. E é uma dupla satisfação pela UFRRJ estar situada no município que escolhi para viver a quadra final da minha vida. Além disso, é o reconhecimento do meu trabalho, e é muito importante se obter o reconhecimento dessa natureza ainda em vida”, afirmou Nei Lopes em entrevista.

Além da honraria outros 19 servidores foram homenageados com a medalha comemorativa ao centenário de origem. Os homenageados foram os dois ex reitores: Malvina Tuttman e Miguel Badenes; dois professores que assumiram a presidência da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica da UFRRJ (Fapur): Eduardo Lima e Laerte Grisi; além de cinco Pró-reitores, assessores e colaboradores da Rural.

 

 

Fonte: Jornal Atual

Deixe uma resposta