Discorrendo sobre tática

            A tática, no jogo de tênis, exige o emprego de todas as faculdades intelectuais, mesmo, porque, o tênis é um jogo que exige uma apurada concentração para dominar o adversário, sempre atendo. Bem é de ver que difere a tática para o jogo de simples e de duplas.

            Em simples predominam geralmente os golpes de fundo de quadra porque, na verdade a não ser um tenista de excepicionais qualidades, não poderá, sempre, depois do serviço, correr à rede, para responder as jogadas do seu adversário, com esmaches ou voleios.

            Em duplas, ao contrário, com dois jogadores de cada lado da quadra, estará sempre mais protegida e os jogadores sempre prontos para os golpes rápidos.

            Pelo que doutrinam os grandes tenistas, no jogo de simples, a preocupação maior deve ser desferir golpes longos, para afugentar o adversário da rede, principalmente quando ele é um bom jogador desta posição.

            Em duplas, o jogo desenvolve-se mais próximo à rede, pronto aos jogadores para inutilizar as rebatidas, com golpes rápidos: O jogo toma uma feição totalmete diferente, de grande movimentação. É portanto, o momento, em que toda atenção deve estar concentrada para observar a posição dos antagonistas, o efeito da bola e outros por menores, para melhor e mais eficiente atuação.

            É uma tática antiquada, em duplas, cada jogador ter em mira só defender a posição em que lhe foi confiada; não está impedido, com tudo, de defender, também, a parte da quadra do seu companheiro, para auxiliá-lo, retornando logo para a sua posição, para não deixá-la desguarnecida. O jogador não deve ter a preocupação de permanecer exatamente no lugar que lhe foi destinado, ambas, porém devem ter em vista a conquista do ponto, não se atrapalhando, mas, orientando-se na mais íntima cooperação.

            A divisão da quadra em partes absolutamente geométrica, para permanecer, cada tenista num certo e determinado posto, é teoria de tempos idos.

Deixe uma resposta