Moção de Repúdio Contra a transformação dos Municípios da Baixada Fluminense na Lixeira Carioca

             À postura arrogante e autoritária do Prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que conforme publicado no jornal O Globo no dia 25 de setembro de 2009, na matéria “O novo destino do lixo carioca: Prefeitura decide implantar aterro em Seropédica; funcionamento deve começar em 2011”, criou um grupo de trabalho formado exclusivamente por diversas Secretarias de seu próprio Governo, que definiu, sem ouvir as prefeituras e a população da Baixada Fluminense, pelo enterramento de cerca de dez mil toneladas/dia de lixo produzidas no município carioca à serem destinadas ao  município de Seropédica,  em área ambientalmente  sensível e vulnerável , que é o aqüífero Piranema, um manancial estratégico para o futuro abastecimento de água da população de vários municípios do Rio de Janeiro, incluindo os da Baixada Fluminense.

            O Povo da Baixada tem sido historicamente tratado com desrespeito e discriminação, gerando pobreza e poluição, como ocorre ainda hoje em Gramacho no município de Duque de Caxias, que recebe o lixo da Região Metropolitana e polui a Baía de Guanabara.            

             Lamentamos que a Prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo do Estado se limitem a propor a criação de consórcios de municípios apenas para a construção de aterros sanitários, contrariando aos avanços tecnológicos obtidos pelos países mais desenvolvidos, nos quais a solução de destinação de RSU para aterros vêm sendo drasticamente abandonadas, inclusive com restrições significativas na Comunidade Econômica Européia.

            O Plano Nacional de Mudanças do Clima, de dezembro de 2008, sinaliza para o aproveitamento de matérias recicláveis na ordem de 20% até 2015 diferente do aproveitamento atual que é de apenas 3%.

            Estudos da Empresa de Pesquisas Energéticas do Governo Federal indicam que o potencial de conservação e geração de energia do lixo pode suprir  à  25% da demanda energética do país. Há que se investir, sim, em educação ambiental e mobilização social, além de planos diretores municipais ou regionais de gestão integrada dos resíduos sólidos, com implantação de programas de coleta seletiva nos municípios, apoio para o fortalecimento da cadeia produtiva da reciclagem e aproveitamento energético do lixo.NÃO À TRANSFORMAÇÃO DA BAIXADA NA LIXEIRA CARIOCA! NÃO À CONSTRUÇÃO DO LIXÃO DE SEROPÉDICA COLOCANDO EM RISCO O AQUÍFERO DO PIRANEMA!

Moção de Repúdio aprovada por Unanimidade pelos Delegados representantes dos Conselhos Municipais de Meio Ambiente, Cidades e Saúde e os gestores de 11 municípios da Baixada Fluminense durante a 1ª. Conferência Regional de Saúde Ambiental realizada nos dias 25 e 26/09/2009, em Nova Iguaçu.

Deixe uma resposta