O esporte e seus patrocinadores

            Falando sobre um campeão, realmente a grana é dele, diga de passagem é só dele. Teve e terá sempre, sua honra de campeão, o que não consegue ver é o seguinte está sendo muito bem patrocinado, deveria pensar mais um pouco nas vitórias e não só em competir, bonita a frase e pobre ao mesmo tempo, “O importante é competir”, quem falou isto no passado foi um Barão, realmente ele estava se divertindo, pois para mim o importante é ganhar. Lembro aos patrocinadores que no Brasil não tem só um campeão, para qualquer lado que olhemos vamos ver cada Guga, garanto aos senhores que por muito menos surgirão centenas de Gugas e Gustavos.

            Quero lembrar também que aqui do nosso lado, que da para ir até a pé talvez, de tão perto que é a nossa querida Argentina, lá são milhares de tenistas federados e que realiza mais de cem torneios por ano, que depois do futebol só o tênis. Temos lá mais de 1500 (mil e quinhentas) quadras gratuitas e que dos 88 (oitenta e oito) tenistas classificados no Ranking de entrada seis estão entre os 50 (cinqüenta) melhores do mundo, sendo dois entre os dez primeiros, marca igualada apenas pelos espanhóis, que pelo menos 14 (quatorze) disputam os principais torneios do circuito.

            Bonito não! Enquanto que no Brasil só temos o Guga. Ora quando ele esta quebrado no estaleiro não temos outro, até parece que os demais são buchas de canhão, mais bonita ainda não acham ?

            Como já falei antes em qualquer bom clube que formos vamos encontrar um Guga ou um Robert da vida, basta dividirmos esta grana e os senhores vão ver quantos campeões aparecerão. Penso eu que o esporte no Brasil ainda esta na idade da pedra lascada, será? Ou falta garra e respeito?

            O que dá pra notar é que quando se ganha uma vez, parecem que desanimam, ficam tão alegres que se desarmam, se desguarnecendo de suas bases. Não se esqueçam que os inimigos estão sempre alertas, esperando um momento de descuido para atacar. Portanto na vida devemos ser eternos perseverantes, não dando chance para a derrota.

            O que vemos em academias são aparelhos que parecem ser de outro planeta, bonitos, muito bonitos, mas, continuo pensando atletas de laboratório e atletas naturais. Eu penso que pode haver alguma diferença neles, aqueles que são fabricados em laboratórios podem facilmente esquecer, pois, naquele momento temos só aquela visão, incluindo “músicas”, e os naturais são favorecidos de diversas modalidades, são contemplados pela natureza e etc, dificilmente ficarão desanimados e não esquecerão o que a vida ensinou. É um fato e não quero dizer que é uma regra e que é comum a todos.

            Portanto vamos praticar outros esportes para ajudar na mobilidade, concentração e etc. Ex: Vôlei para impulsão, natação ajuda a expandir os músculos, adquirir resistência e auxilia a respiração, além do mais outro esporte ajuda a divertir e relaxar a mente.

Obrigado!

E para finalizar deveriam os atletas que tiverem algum jogo narrado por Gavião Bueno que não deixassem, pois, o cara é um verdadeiro encosto.

 

Qualquer sugestão, dúvida, elogios e até mesmo críticas podem ser enviados para o e-mail jorgebeja@seropedicarj.com.br ou pelo telefone 98937425 ou 81375476

Deixe uma resposta