Paraíso tropical

Em 8 de março, a Família Real desembarcava no Rio de Janeiro, há 200 anos. Na última reportagem da série especial sobre esse período da nossa história, conheça um pouco mais do Jardim Botânico do Rio.


O Jardim Botânico, um dos pontos turísticos mais famosos do Rio de Janeiro, foi uma invenção de Dom João VI. O sonho do Príncipe Regente era criar um jardim de aclimatação para o cultivo de ervas, plantas medicinais e madeiras raras. Mudas e sementes foram contrabandeadas de várias colônias portuguesas, sob orientação do conselheiro real, Dom Rodrigo Coutinho.

Por causa do alto valor das especiarias e do seu poder curativo, que já era conhecido, ter um jardim era estratégico para os portugueses.

“A vantagem, a grande surpresa que foi a questão climática do Brasil, em algumas regiões, ser compatível com a Ásia Tropical é que ficava no meio do caminho. Se cultivasse aqui não precisava mais ir para a Índia. Eles fizeram essa rota enquanto era necessário para abastecer os seus outros no Brasil. A partir do momento em que as plantas se desenvolveram no Brasil, acabou a rota para a Índia“, explica a jornalista e escritora Rosa Nepomuceno.

De outros países, como a Índia, vieram a pimenta-do-reino, noz-moscada, canela, pés de manga. Até as palmeiras, que depois viraram imperiais, vieram de fora. Muitos estrangeiros forma trazidos só para o cultivo das espécies.

“Muitos chineses foram importados por Dom João VI não só para desenvolver a criação do bicho-da-seda em Seropédica, mas também do plantio de chá, no Jardim Botânico“, conta a historiadora Mary del Priore.

A escolha do lugar não foi por acaso.

“A Lagoa Rodrigo de Freitas é elogiada em quase todos os escritos de viajantes que aqui estiveram, como uma beleza maravilhosa. Realmente é. Aquele contorno, com as montanhas, é o lugar do paraíso. A sensação que se tem é que, naquele local, Dom João quis fazer esse imaginário do paraíso tropical que, desde sempre, desde Cabral chegou aqui, residia na cabeça dos eurepeus”, aponta a historiadora Vera Tostes.

Fonte: RJ-TV em 07/03/2008

Deixe uma resposta