Pensando a cidade décadas à frente

Foram mais de seis horas de reuniões, que prolongaram por toda a sexta-feira (25), com a presença dos secretários municipais e de outros integrantes do primeiro escalão do governo. Nelas, o arquiteto e urbanista Guilherme Takeda expôs aspectos do projeto de estruturação urbana do município, sobre o qual está debruçado nos últimos meses à frente de uma equipe de profissionais que têm a incumbência de pensar a cidade preparando-a para enfrentar situações ao longo das próximas quatro décadas. Em entrevista exclusiva ao ATUAL, Guilherme Takeda disse que propôs um sistema de trabalho colaborativo, contando com a participação de consultores, do secretariado municipal e de entidades como o Senai e a Firjan. “O nosso projeto é construir a cidade para 2040”, diz ele.

PROBLEMAS COMO o intenso fluxo de veículos na BR 465, que corta a cidade ao meio, vão merecer atenção no projeto. (FOTO NATÁLIA FIGUEIREDO)
PROBLEMAS COMO o intenso fluxo de veículos na BR 465, que corta a cidade ao meio, vão merecer atenção no projeto. (FOTO NATÁLIA FIGUEIREDO)

As reuniões que trazem o arquiteto Takeda e sua equipe à cidade buscam identificar problemas que já existem e situações que podem surgir nos próximos anos, atravancando o desenvolvimento da cidade. Uma das próximas etapas do projeto é a conversão dos dados recolhidos em conteúdos digitais, possibilitando à sociedade de uma maneira geral conhecer aspectos do seu desenvolvimento e até colaborar com sugestões. “É um projeto em mutação, que vai contar com um instrumento importante, que é a colaboração dos cidadãos”, explica Takeda.

O arquiteto e urbanista adianta que o maior desafio que encontrou em Seropédica é a organização da malha viária interna, questão que ele considera essencial para garantir o crescimento ordenado da cidade. “Precisamos encontrar as melhores formas de oportunizar espaços interessantes para atrair investimentos”, sustenta ele, acrescentando que no próximo dia 6 o projeto será apresentado na Câmara Municipal de Seropédica. O arquiteto e urbanista estima que três semanas depois disso o projeto já estará finalizado e as primeiras ações poderão ser iniciadas no mês de março.

Ambicioso, o projeto deve apresentar solução para desafogar o trânsito na BR-465, que exige doses extras de paciência de quem precisa circular pelo centro da cidade. Entre as ideias em estudo está a possibilidade de ligar a Reta de Piranema direto à Via Dutra, diminuindo consideravelmente o fluxo de veículos, principalmente carretas, pelo centro da cidade. “A ideia é fazer de Seropédica um exemplo para toda a Região Metropolitana do Rio. Queremos irradiar o projeto, ir muito além”, conclui ele.

 

Fonte: Jornal Atual

2 comments

  1. Outra coisa Sr. arquiteto urbanista e Sr. secretário, pago meus IPTUs todo ano, agora quando vou no cartório e prefeitura para o registro definitivo de minha propriedade, não consigo,(tenho o contrato de compra e venda paguei pelo meu terreno e casa, assim como todo o lado da região da Bento Rodrigues Nóia), o que está sendo feito pela prefeitura para possibilitar isso.
    Peço ao portal que faça uma matéria esclarecendo o povo sobre isso e se tem alguma solução, visto que já ouvi que essas áreas o loteamento distrito cidade industrial é área Federal.
    Pera aí mas o município vem cobrando IPTU dessas áreas. Precisamos desse esclarecimentos de forma oficial.
    Um pronunciamento oficial da câmara também seria oportuno, daria uma excelente matéria.

  2. Tudo bem pensar para o futuro, muito bom, mas tem obras emergenciais que devem ser feitas, por exemplo a ordenação da entrada e saída da av. Ministro Fernando Costa para a Piranema (veja bem Av. Ministro Fernando Costa e não pensar que é uma BR 465, que é federal e não seria responsabilidade do Município).
    Vamos esperar uma tragédia acontecer (ou fazer uma rotatória emergencial????)
    Será que ningué mtá vendo aquilo?

Deixe uma resposta