Polícia apreende 2,6 mil caranguejos e pássaros em Niterói e São Gonçalo

Um desrespeito ao meio ambiente. Dois mil e seiscentos caranguejos e 65 pássaros silvestres estavam à venda nas feiras de Neves e de Alcântara, em São Gonçalo, e também no Mercado São Pedro, em Niterói. O comércio de animais silvestres é crime. Já a venda de caranguejos, depende da época.

 

Policiais do Batalhão Florestal devolveram os caranguejos à natureza. Eles foram soltos no manguezal da área de proteção ambiental de Guapimirim, na Baixada Fluminense. Os policiais tiveram que usar uma faca para cortar as linhas que amarravam os bichos. A captura de caranguejos é proibida nessa época do ano, por causa do defeso, período em que os animais se reproduzem. O defeso começou em 1º de outubro e vai até o fim deste mês.

Os pássaros apreendidos foram levados para centros de triagem do Ibama, que ficam nos hortos florestais de Niterói e de Seropédica. As aves vão ser tratadas e, quando estiverem com boa saúde, vão ser soltas na floresta. Seis pessoas que vendiam os pássaros foram detidas e liberadas depois de prestarem depoimento.

A pena prevista para o comércio de animais silvestres é de um ano de cadeia. Segundo a delegada de meio ambiente, Juliana Amorim, a apreensão é feita quando os policiais vão àsfeiras livres e faz o flagrante do comércio ilícito. Quem é preso pode responder o processo em liberdade, após assinar um termo de compromisso e podem pagar cesta básica e fazer uma recomposição ambiental como penalidade.

A pessoa que é pega pela segunda vez cometendo o crime pode ser alvo de uma investigação mais aprofundada e responder por recepção e até formação de quadrilha.

 

Fonte: Bom Dia Rio em 02/11/2009

Deixe uma resposta