Rio de Janeiro tem três casos confirmados da nova gripe

O estado de saúde do rapaz de 21 anos que contraiu a doença no México é considerado excelente e ele pode até sair da área de isolamento e receber alta ainda esta semana.

Já o amigo dele, um rapaz de 29 anos, que pegou a doença no Rio, está sem febre há 48 horas e o quadro respiratório dele tem apresentado melhora.

Já a mãe desse rapaz, uma dona de casa de 52 anos, que foi internada no último sábado com febre alta, dores no corpo e tosse, também já está sem febre e ainda segue em tratamento.

O Ministério da Saúde informou que há um novo caso suspeito da nova gripe no Rio, mas ainda não foram divulgados detalhes sobre essa pessoa.

 

 Passageiros que vêm do exterior passam por procedimento no aeroporto internacional

 

Diariamente chegam ao Rio de Janeiro 49 voos vindos do exterior, 29 deles diretos. Todos passam por um mesmo procedimento: os passageiros respondem a questionários, em que têm que informar se tiveram tosse ou febre nos últimos dez dias, e têm que deixar um telefone para contato.

Se alguém apresentar os sintomas na aeronave, é levado para o centro de triagem da Anvisa. No aeroporto internacional do Rio, o Corpo de Bombeiros ajuda a fazer essa entrevista com os passageiros e, como os sintomas podem aparecer depois da contaminação, essas pessoas continuam sendo monitoradas em casa, por telefone.

Hoje, segunda-feira, 70 pessoas que tiveram contato com os pacientes que estão internados no Fundão estão sendo monitorados pelo telefone, além de passageiros que desembarcaram durante o fim de semana e que também apresentaram sintomas parecidos com os da nova gripe.

Hoje cedo, desembarcou no Rio mais um grupo que viajou com o jovem que foi contaminado no México. Mais oito passageiros que estiveram com o rapaz chegaram em um voo de Miami.

“Eu não tive preocupação nenhuma”, disse uma passageira.

Eles também disseram que poucas pessoas do grupo estiveram na Cidade do México e que, entre eles, não há ninguém com sintomas de gripe. “Do grupo nosso, que era de 75 pessoas, oito foram pela Cidade do México. O restante todo ou foi via Panamá ou via Miami”, afirmou o comerciante Ivo Graeter.

Os passageiros do voo de Miami apenas preencheram o formulário da Anvisa, como ocorre em todos os voos que vêm de áreas afetadas desde o fim de semana. “Eles deram um papel, preenchemos com nossos dados, deram um folheto para a gente ler”, contou o iatista Maurício Santa Cruz.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o procedimento especial de abordagem de passageiros só será feito quando o comandante da aeronave acionar a Anvisa com a informação de que há alguém com sintoma de gripe dentro do avião. Foi o que ocorreu em dois voos neste fim de semana.

O primeiro voo com a nova abordagem chegou de Miami no sábado. Um dos passageiros registrou imagens da sala onde parte deles ficou para responder as perguntas da Anvisa.

Ontem nove brasileiros que estiveram no México com o rapaz que ficou doente desembarcaram no Rio. Todos os passageiros foram orientados a usar máscaras na saída. Isso porque duas pessoas estavam com sintomas comuns de gripe. Elas agora são monitorados em casa.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde é só mais uma forma de prevenção. “É fundamental esse trabalho nos aeroportos coordenados pela Anvisa, que vem fazendo um trabalho excepcional. No Rio de Janeiro, ela tem o suporte da Defesa Civil estadual e municipal, para ajudar na operação aeroportuária. E há uma central de informações, para lá caminham todas as informações que nos ajudam nas tomadas de decisão”, esclareceu Hans Dohmann, secretário municipal de Saúde e Defesa Civil.

A Anvisa pede um pouco de paciência aos passageiros que desembarcam, porque esse tempo para responder alguns dados é importante para o controle da doença.

O RJTV conversou com Marcelo Felga, coordenador geral da Anvisa no Rio.

RJTV – Houve diferença no procedimento do voo que chegou no sábado e no de hoje de manhã. Dá para dizer que foi menos rigoroso? Por que isso aconteceu?

Marcelo Felga – Os voos que chegaram no sábado e no domingo tiveram viajantes com anormalidade clínica a bordo. E toda vez que existem casos assim, a aeronave é colocada na área remota e esses pacientes são encaminhados para uma sala de triagem, para orientação. O voo que chegou hoje não teve nenhum viajante com sintomatologia a bordo. Então, foi autorizado e feita toda a inspeção no finger, onde a equipe da Vigilância Sanitária da Anvisa foi até a aeronave, fez todas as orientações necessárias e esses passageiros desembarcaram. Na sala de moderação foi realizada uma entrevista sobre se o viajante apresentou o sintoma nos últimos dez dias, foi solicitado contato, telefone, e distribuído todo o material educativo, de informação, para caso esse viajante venha a apresentar algum sintoma dentro do seu município, para que ele procure as autoridades sanitárias locais, informando que ele esteve em uma área afetada e também os principais sintomas que está tendo.

 

Fonte: RJTV primeira edição em 11/05/2009

Deixe uma resposta