Travessia de canoa no Rio Guandu

Ponte que liga Japeri e Seropédica, na Baixada Fluminense, está interditada para reforma. Solução para alguns moradores é atravessar o Rio Guandu de canoa.

Quem vive no limite entre os municípios de Japeri e Seropédica depende de uma ponte para fazer a travessia. A obra na ponte é um pedido antigo dos moradores. Do último ano para cá, o RJTV já denunciou o problema seis vezes.

A maioria das tábuas da ponte já foi arrancada, trabalho que só começou nesta segunda-feira. Apenas dois operários fazem o serviço. A reforma da ponte ficou interrompida quase um mês. E os moradores reclamam do andamento da obra.

“Está lento demais da conta, só há dois trabalhadores. Para uma ponte assim, eram necessários uns 20 homens”, diz um morador.

A equipe do RJ-Móvel esteve no local pela última vez no dia 9 de janeiro. Três buracos foram abertos. Hoje apenas parte da estrutura de reforço está concluída. Pelo cronograma inicial, a obra já deveria estar pronta há duas semanas.

A prefeitura de Seropédica pôs à disposição dos moradores uma Kombi para fazer a ligação entre os dois municípios enquanto a ponte estiver interditada.

“A Kombi demora a dar a volta”, reclama outro morador.

Algumas pessoas preferem se arriscar em uma travessia perigosa. A bordo de uma canoa, elas enfrentam a correnteza do Rio Guandu. Há apenas uma corda para manter a pequena embarcação no rumo certo. Não há qualquer equipamento de segurança.

“Coloco no máximo duas pessoas. É tranqüilo, até agora não aconteceu nada”, assegura o condutor da barca.

E quem atravessa parece não ter consciência do risco de um acidente.

“Não vale a pena, mas a gente tem que resolver a vida”, diz uma moradora.

Em entrevista ao RJTV, o secretário de Comunicação Social de Seropédica, Alexandre Rafael, explicou o atraso na obra e anunciou um novo prazo para a entrega da ponte.

RJTV – O que aconteceu?

Alexandre Rafael, secretário de Comunicação Social de Seropédica – Na realidade, estamos atuando. A prefeitura de Seropédica está aqui presente.

Por que a reforma atrasou?

Houve fortes chuvas em todo o estado do Rio. Do outro lado da ponte, estamos com a equipe de solda das estruturas da ponte. De forma que se houver uma chuva, o serviço tem que ser paralisado porque não se consegue trabalhar com solda.

Com o tempo bom, qual o prazo para que a obra seja concluída?

As duas pessoas especializadas que estão trabalhando na ponte nos deram um prazo extra-oficial de 15 dias, a partir de hoje, se não acontecer um contratempo, como chuva, que prejudique o andamento do trabalho. É inviável trabalhar com chuva.

Apesar de sempre dizer que está trabalhando em conjunto com prefeitura de Seropédica, o município de Japeri informou que não sabia que as obras já tinham sido iniciadas e prometeu que a partir desta quarta-feira mais homens vão ajudar na obra.

RJ Móvel – RJ TV 1º Edição – exibido em: 12/02/2008

Deixe uma resposta