Novo prefeito inicia caça aos funcionários “fantasmas”

O novo prefeito de Seropédica, Wagner Vinicius de Oliveira, o Waguinho do Emiliano (PRB), quer cortar pela metade os cargos comissionados e iniciar uma ‘caçada’ aos funcionários fantasmas, um dos motivos que levaram à cassação do mandato de Alcir Fernando Martinazzo (sem partido), na última sexta-feira. “Vamos repensar esta questão dos cargos comissionados, buscar uma redução, talvez até de 50%. Mas vamos fazer isso de forma gradual”, disse.

A Comissão Processante que levou à cassação de Martinazzo, por oito votos a dois, pela Câmara de Vereadores, foi aberta após denúncia do ajudante de cozinha Angelo Souza de Almeida, que disse ter sido transformado em “funcionário fantasma”. Policial militar, 32 anos, Waguinho era o presidente da Câmara e assumiu o Executivo porque o vice-prefeito Zealdo Amaral faleceu ano passado, vítima de infarto.

Nesta segunda-feira (13/07/2015), seu primeiro dia oficialmente à frente do cargo, foi de muito trabalho. Ele se reuniu com o governador Luiz Fernando Pezão e com deputados na Alerj. “Fui pedir ajuda para tirar a cidade do caos. A prefeitura está quebrada, não tem um centavo para investimentos”, disse.

Ele determinou um levantamento para saber como economizar para investir em serviços essenciais, como a saúde e a educação.  Temos que trabalhar para enxugar a folha do município. A gestão do prefeito anterior foi negativa. As unidades básicas de saúde estão sucateadas”, disse.

Além do amplo recadastramento dos servidores efetivos e contratados, Waguinho anunciou uma revisão de todos os contratos licitados. A ordem é apostar na arrecadação própria. Para isso, prevê criar um programa de refinanciamento para contribuintes inadimplentes. “A prefeitura vive hoje só de convênio com os governos estadual e federal. Irei ver com a Procuradoria como dar oportunidade ao morador de pagar impostos em atraso sem juros e multas”, destacou.

Hoje deverá ser divulgado o primeiro balanço das contas do município de pouco mais de 82 mil habitantes na Baixada Fluminense. O orçamento para este ano é de pouco mais de R$ 200 milhões. 

Mulher de ex-prefeito perde o cargo

Waguinho anunciou ainda a redução de secretarias — atualmente, são 17. Ontem o novo prefeito exonerou parte dos integrantes do primeiro escalão, entre os quais, a ex-primeira-dama Lúcia Baroni Martinazzo, que era secretária de Educação e Cultura. A primeira nomeação foi a do chefe de Gabinete, Luís Machado, que era procurador-geral da Câmara em sua gestão. Foram mantidos nos cargos três secretários: Artur Correa (Saúde), Fernando Dias (Obras) e Davi Maciel (Ordem Pública).

Sobre os novos ocupantes de cargos em comissão, disse que passarão a ser escolhidos por critérios técnicos e não políticos. “Vamos priorizar o conhecimento das pessoas sobre sua área de atuação, independentemente de filiação partidária.Não devo nenhum favor a ninguém que tenha que ser pago com cargo”, avisou Waguinho, que também quer buscar apoio da Câmara.

 

Fonte: Jornal O dia

32 comments

Deixe uma resposta para Silvania Kpistrano Rosa Cancelar resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.